José M. Félix

José M. Felix

Em final de 2019, Sérgio Castro (Stick, Arte & Ofício, Trabalhadores do Comércio) editou o seu primeiro disco a solo, intitulado “SURGE”. Este trabalho fonográfico é um repositório de experiências musicais colhidas ao longo de 50 anos. Tem precisamente meio século, o tema “On Willow Tree” que se encontra registado neste disco do músico nortenho.

Shakespeare, dizia que a maturidade tem mais a ver com o tipo de experiência em cada vivência, do que com o número de velas que se apagam. Este disco é de facto o materializar das experiências de um músico maduro ao longo de todas essas vidas vividas. E nos tempos que correm em que a música é um bem consumo imediato, a edição deste disco é de uma enorme audácia. É por isso um disco à moda antiga, onde o grafismo da sua capa e de todo o seu interior nos remete para um passado onde cada pedaço de vinil que era comprado se tornava uma grata descoberta para os órgãos dos sentidos. É tendo esta consciência vintage que Sérgio Castro não quer se este objecto seja apenas mais uma compilação de canções facilmente descartáveis.

Este disco é de facto o materializar das experiências de um músico maduro ao longo de todas essas vidas vividas

Por isso e aliado com a pintura de Alua Pólen, Sérgio Castro convida-nos a entrar num universo recheado de 14 prazerosas canções de estilos variados, do pop ao jazz, e que em cada um dos seus recantos serão propícias para cada um que escuta este disco encontre as suas próprias narrativas.

Share:
2019 © Ser Castro